ELPIDIO DONIZETTI: DESEMBARGADOR (não) TROCA CARGO POR PENSÃO

O Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, em acórdão unânime, julgou improcedente a denúncia de nepotismo cruzado contra o jurista e ex-Desembargador Elpídio Donizetti.

Nas redes sociais, Elpídio Donizetti desabafou:

 

“Cinco anos se passaram desde aquela manhã, quando abri o jornal Estado de Minas e me deparei com a manchete na capa ” Desembargador troca cargo por pensão” . 

De forma muita intensa experimentei a dor da injustiça. 

Como dói.

Com os olhos marejados e a boca espumando de ódio, saí a campo para desmentir a inverdade.

Quanto mais procurava explicar o ocorrido, mais notícias eram divulgadas, mais exposto eu ficava e a dor então aumentava. 

Cheguei a pensar que jamais teria a oportunidade de esclarecer o ocorrido.

O Tribunal de Minas sabia, mas os meus alunos, amigos e familiares, não.

O tempo passou.

O alarido cessou.

O trabalho no Tribunal, as aulas, os livros e a instigante participação na Comissão de Juristas do Senado Federal (para elaboração do anteprojeto do novo CPC) me fizeram sublimar a dor.

O CNJ, por certo suspeitando da injustiça do tal voto, silenciou-se. O embusteiro pode até enganar a todos por algum tempo, mas jamais conseguirá enganar a todos todo tempo.

Em 2013, depois de dois anos do dolorido episódio, completei o tempo para aposentaria voluntária – já contava com 43 anos de serviço,  computados os tempos como trocador de ônibus, entregador de embrulhos, o tempo na Escola de Cadetes, no  Magistério, no   Banco do Brasil, no  Ministério Público (de Goiás e de Minas Gerais) e na Magistratura mineira.

Logo depois da aposentadoria, o Ministério Público de Minas Gerais ajuizou a ação de improbidade. De início fiquei aborrecido, esquecendo-me de que Deus escreve certo por linhas tortas e de que, no final, tudo se conecta…

Rancor, medo, necessidade de aparecer na mídia como paladino da moralidade e algoz da Magistratura, subserviência, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se.

Mas não há salvação nem para o juiz nem para o conselheiro covarde.” (inspirado em Rui Barbosa).”

 

 

Confira a sentença:

http://www.elpidiodonizetti.com/wp-content/uploads/2016/05/Senten%C3%A7a-na-A%C3%A7%C3%A3o-de-Improbidade-Administrativa.pdf

 

Confira o acórdão:

http://www.elpidiodonizetti.com/wp-content/uploads/2016/05/Ac%C3%B3rd%C3%A3o-TJMG.pdf

EB